Antonio Maluf - Operário da Arte - de 5 de maio a 17 de julho de 2011


O artista plástico e designer gráfico Antônio Maluf (1926-2005), um dos pioneiros do concretismo no Brasil, terá sua obra revista durante exposição na Galeria Berenice Arvani, de 5 de maio a 17 de junho de 2011. Durante este período, o público terá acesso a um amplo panorama da produção do artista, composto por 60 peças de suas diferentes fases, desde os anos 50 até 2005.

“Trata-se de uma mostra panorâmica, uma antologia com guaches, pinturas e colagens que se inicia em 1951 e segue até 2005, ano de sua morte, quando ainda mantinha em seu atelier algumas pinturas em processo de produção”, revela o curador da exposição, Celso Fioravante. “São 60 obras, para homenagear os 60 anos da criação do cartaz da 1ª Bienal Internacional de São Paulo, que é, para mim, o marco inicial do concretismo no Brasil”. O cartaz é uma das obras que integra a exposição.  

Apesar da forte ligação com a pintura concretista, Antônio Maluf dialogou também com o design gráfico e com a moda, além de ter flertado com outros movimentos, como o pop dos anos 60 e 70. “Esse período está representado na exposição em colagens e pinturas com motivos florais e ornamentais, originais de seu trabalho como desenhista de estampas em tecidos para tecelagens e ateliês de costura da época”, destaca o curador.   

Para a marchand Berenice Arvani, a exposição é uma grande oportunidade de aproximação com a obra de Antônio Maluf. “A intenção é difundir o trabalho desse artista, que, apesar de sua importância para as artes plásticas brasileiras, passou ao largo do circuito comercial desde os anos 50”, revela. “É uma chance única para aqueles que não o conhecem apreciarem as suas obras, e para os que têm afinidade com seu trabalho, de vê-lo reunido em suas diversas vertentes.”


Antônio Maluf - Nascido em São Paulo em 1926, Antônio Maluf cursou Desenho Industrial no Instituto de Arte Contemporânea do Museu de Arte de São Paulo (MASP), optando, desde o início pela arte construtivista, com ênfase na produção de cartazes e padrões têxteis. Foi aluno de Nelson Nóbrega, Waldemar da Costa, Samson Flexor, Darel e Poty. Em 1951, desenvolveu o cartaz da I Bienal de São Paulo, na qual também expôs pinturas de conotação geométrica. 

Sua pintura utiliza cores chapadas de tonalidades puras, contrastantes, dispostas matematicamente em progressões, criando, na superfície bidimensional, um ritmo ordenado. Seus murais, a exemplo daqueles dos edifícios Vila Normanda (1962) e Brigadeiro (1964), no centro de São Paulo, capturam o olhar daqueles que caminham pela cidade. 





Curadoria: Celso Fioravante



Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Quadrado subscrito
por espiral
Acrílica sobre madeira
Anos 90, 90 x 90 cm
 
 Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Quadrado subscrito
por espiral
Acrílica sobre madeira
Anos 90, 30 x 30 cm
 
 Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Quadrado subscrito
por espiral
Acrílica sobre madeira
Anos 90, 30 x 30 cm
 
 
 Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Quadrado subscrito
por espiral
Acrílica sobre madeira
Anos 90, 90 x 90 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Quadrado subscrito
por espiral
Acrílica sobre madeira
Anos 90, 90 x 90 cm
 
Guache sobre papel
colado em eucatex
1965
28 x 28 cm
 
Guache sobre
cartão
1965
30 x 30 cm
 
Guache sobre papel
colado em eucatex
Anos 60
28 x 28 cm
 
Guache sobre papel
colado em eucatex
Anos 60
44 x 44 cm
 
Guache e Acrílica
sobre madeira
Anos 70
30 x 30 cm
 
Guache e Acrílica
sobre madeira
Anos 70
28 x 28 cm
 
Guache e Acrílica
sobre eucatex
Anos 70
28 x 28 cm 
 
Acrílica sobre
madeira
Anos 80
45 x 45 cm
 
Guache sobre papel
colado em eucatex
Anos 70
48 x 33 cm
 
Tapeçaria
Anos 60
145 x 100 cm
 
Guache sobre
cartão
49 x 27 cm
 
Série Progressões
Crescentes e
Decrescentes
no quadrado
Guache sobre papel
Anos 50
 22 x 22 cm
 
Série Progressões
Crescentes e
Decrescentes
no quadrado
Acrílica sobre madeira
30 x 30 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
no quadrado
Acrílica sobre madeira
60 x 60 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
no quadrado
Guache e Acrílica
sobre madeira
30 x 30 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Acrílica sobre madeira
Anos 60
60 x 30 cm 
 
Equação dos Desenvolvimentos
Informação sem redundância
Acrílica sobre Madeira
Anos 90
100 x 70 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Acrílica sobre madeira
Anos 90
99 x 66 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
no quadrado
Acrílica sobre madeira
Anos 90
90 x 90 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
quadrado
Acrílica sobre madeira
Anos 90
90 x 90 cm
 
Série Progressões
Crescentes e
Decrescentes
no quadrado
Acrílica sobre madeira
Anos 90
90 x 90 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
Acrílica sobre madeira
Anos 90
90 x 90 cm
 
Permutações
Progressões Crescentes e
Decrescentes
Guache sobre cartão
1951
48 x 48 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
com Curvas
Acrílica sobre tela
Anos 90
100 x 100 cm
 
Série Progressões
Crescentes e
Decrescentes
com Curvas
Acrílica sobre tela
Anos 90
100 x 100 cm
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
com Curvas
Acrílica sobre tela
Anos 90
100 x 100 cm
 
Acrílica sobre
madeira
Anos 90
90 x 90 cm
 
Acrílica sobre
madeira
Anos 90
90 x 90 cm
 
15 modelos pintados
em madeira
Anos 80
100 x 60 cm
(15 peças de 20 x 20 cm)
 
Série Progressões
Crescentes e Decrescentes
com triângulos coloridos
Guache sobre papel
Anos 50
33 x 33 cm
 
Progressões com
Verde e Vermelho
Guache sobre papel
Anos 50
35 x 35 cm
 
Progressões Crescentes e
Decrescentes em Espiral
Guache sobre cartão
Anos 50
22 cm diâmetro
 
Dízima Periódica
Guache sobre papel
1951
22 x 10 cm
 
Equação dos
Desenvolvimentos: Roleta
Guache e colagem
sobre cartão
1957, 45 x 45 cm
 
Equação dos
Desenvolvimentos: Roleta
Guache e colagem
sobre cartão
1957, 45 x 45 cm
 
Equação dos
Desenvolvimentos: Roleta
Guache e colagem
sobre cartão
1957, 45 x 45 cm
 
Equação dos
Desenvolvimentos: Roleta
Guache e colagem
sobre cartão
1957, 45 x 45 cm
 
11 dos 12 signos da
estrutura poética concreta
denominada Vila Normandia
 Guache sobre papel
1964,10 x 56 cm
 
Cartaz da 1ª Bienal
Internacional de
São Paulo
Offset
1951, 94 x 63 cm
 
Série Equações e
Desenvolvimentos
Acrílica sobre madeira
Anos 90, 99 x 66 cm
 
Equação dos
Desenvolvimentos
Guache sobre papel
Março de 1951
29 x 20 cm
*Desenho que deu origem
ao cartaz da 1ª Bienal
Internacional de São Paulo
 

CMS Web Estúdio | Web Dinâmica | São Paulo | SP